O Governo do faz de conta,não consegue fazer nem o feijão com arroz.

É impressionante a inabilidade e incapacidade administrativa do Prefeito de Pedreiras em resolver até mesmo os menores problemas do município. A cidade está um barco a deriva, e o comandante não houve ninguém,nem mesmo seu mais sagaz conselheiro consegue fazer o chefe do executivo mudar a rota do Timão. O prefeito, é a bússola e o astrolábio, desta embarcação sem rumo.
..."Ele não confia nem na própria sombra, disparou um secretário,cansado de rotineiras intromissões e diversas patadas em público. Indignado, confessou a uma pessoa que só não entrega o cargo porque necessita do pomposo salário de cinco mil reais, para sobreviver". 
Pedreiras infelizmente está nua,feia, suja e fora de órbita, e o que é pior, sem perspectivas de melhora. Se o governo não vai bem, nós não vamos bem, a cidade não vai bem, é bom que se entenda isso. É cada vez mais forte e crescente na cidade o desgaste tão rápido de uma administração que prefere as "correntes" a libertar um povo cansado de sucessivos desastres administrativos. Tem secretário balançando no cargo,não sabemos se por não ter dado conta do recado, ou por não aceitar tamanha falta de autonomia. Comenta-se que só não se iniciou a dança das cadeiras, por que o prefeito está amarrado a compromissos de campanha. O aniversário de Pedreiras foi um tremendo fiasco, sem nada para apresentar, o prefeito que tinha como obra impactante apenas a metade do quebra mola da rua da Prainha, teve que apelar para a plantação de ipês na avenida João do Vale, para não passar em Branco. Diante de tanto descaso no nonagésimo sétimo aniversário da princesa do mearim, enfim um quesito se destacou no apagado aniversário de Pedreiras, e que foi voz corrente entre os Pedreirenses, que fora o show pirotécnico, onde para muitos superou até mesmo o rei do foguetório Raimundo Louro. Triste saber que na falta de um projeto para Pedreiras, tenhamos que voltar à civilização romana e obrigados a nos contentar com o "pão e circo." E olha que nem o pão se teve, já que nenhuma cesta básica ou peixe foi distribuído pela prefeitura na semana Santa. Nem mesmo o início de governo de seu antecessor que foi um dos piores, foi tão ruim assim nos primeiros meses. A orquestra (Secretariado) toca desafinada, sem ritmo e sem melodia. O prefeito emperra até os lampejos de acordes de seus comandados, pois não confia nestes e nem dá condições mínimas para que algo seja feito. Já estamos entrando no quinto mês de governo, e tudo continua como antes no "quartel" de Abrantes.

Elcinho Gírio, Vereador de Pedreiras.

Nenhum comentário: